bya%20braga_edited.jpg

BYA BRAGA

Direção Geral :

“A Tempestade” (TU) (1993)

“O Rei da Vela” (TU) (1995)

"Comédia" (TU) (1997)

Assistência de Direção:

“Troços e Destroços” (TU) (1997)

 

“Trabalhei no Teatro Universitário entre 1993 e 1998 como professora de Interpretação teatral, quando também dirigi espetáculos que buscaram, cada um a seu modo, unir o ensino e a pesquisa cênica, propondo temas que considerava relevantes para a aprendizagem discente e o fortalecimento institucional. Dirigi ‘Tempestade’, de 1993, que foi uma encenação de formatura concebida como um jogo cênico, em site specific, no pátio interno do “Coleginho” (Bairro Santo Antônio-BH), onde funcionava o TU e na qual foram abordados o teatro negro, o mascaramento/caracterização e a interculturalidade a partir do texto teatral de referência ‘Uma tempestade’, de Aimé Césaire. Foi apresentada, de modo adaptado, também no Teatro Gláucio Gill (Rio de Janeiro), em 1994. O texto de referência teve tradução inédita e didática realizada pelo também professor do TU, Francisco Pontes de Paula Lima, a meu pedido. Em 1995, dirigi “O Rei da Vela'', encenação de formatura para palco a partir do texto teatral de Oswald de Andrade, trabalhando referências de encenações brasileiras (para este autor) e alegorias. Foi apresentada no Teatro da Praça (BH) (obs: para tal encenação, foi realizado um projeto de extensão para os alunos formandos que incluía aulas e palestras com o diretor José Celso Martinez Correa-SP). Em 1997, dirigi ‘Comédia’, espetáculo criado com referência no texto teatral ‘Comédia’, de Samuel Beckett, em tradução didática, para espaço alternativo, trabalhando teatro do absurdo e mascaramento/caracterização, apresentado no pátio interno do “Coleginho” e também no Riocentro-Rio de Janeiro (Congresso de Extensão Universitária). Em 1997, realizei assistência de direção de ‘Troços e Destroços’, encenação de formatura concebida por João das Neves, artista visitante contratado pela UFMG para desenvolver projeto no TU de pesquisa artística com a criação de espetáculo. Foi realizado em espaço alternativo, como site specific, no edifício que abriga o atual Centro Cultural da Moda em BH. A Produção Executiva foi realizada por Ângela Mourão, TAE-Programadora Cultural no TU à época.”

 

Maria Beatriz Braga Mendonça é atriz, diretora teatral e foi professora de Interpretação teatral no Teatro Universitário (UFMG) entre 1993 e 1998, onde também foi Diretora administrativa. É Professora Associada do Departamento de Artes Cênicas, na área de Teatro-Atuação, Improvisação e Processo Criativo, da Escola de Belas Artes-UFMG. Doutora em Artes Cênicas pela UNIRio, com pesquisa prática cênica junto à Escola MOVEO-Barcelona-Espanha de Mímica Corporal e Teatro físico. Pós-doutora em Estudos da Performance pela New York University-NY-EUA, com pesquisa prática cênica junto à Cia. Theatre l’Ange Fou-Wisconsin-EUA. Autora do livro: "Étienne Decroux e a artesania de ator. Caminhadas para a soberania", Ed. UFMG, 2013; organizadora do livro "O bufão e suas artes. Artesania, disfunção e soberania" Paco editorial, 2017, junto com José Tonezzi. Líder do Grupo LAPA (Laboratório de Pesquisa em Atuação)-UFMG/CNPq. É Pesquisadora da CNPq (Teatro/Cena física e Mascaramento). Integra o Duo Mimexe com o ator mimo Alexandre Brum Correa.

 

Foto: Beto Novaes

Última atualização: 07/07/2021