Gloria Reis.jpeg

GLÓRIA REIS

Assistente de Direção:

“A Terra Prometida” (Cefar(t)) (2001)


 

"Minha participação nos espetáculos de formatura está diretamente relacionada às atividades desenvolvidas nas aulas de História das Artes Cênicas, Literatura Dramática e Teoria e Pesquisa, lecionadas por mim no Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado, na Escola de Teatro PUC Minas e na Companhia de Teatro.

No início dos trabalhos, proponho pesquisa histórica e estudos sobre o texto, autoria, circunstâncias de concepção, possibilidades de releitura, novas criações.

Em alguns casos, permaneço junto ao professor-diretor até a encenação do espetáculo pelo elenco de formandos.

Mais especificamente nos espetáculos de formatura da Escola de Teatro do Centro de Formação Artística, acompanhando todo o processo de montagem até a encenação, trabalhei como diretora assistente em A Terra Prometida (2001), com direção de Walmir José; desenvolvi e orientei o elenco na pesquisa histórica para Pedro Páramo (2001) com direção de João das Neves; e supervisionei a pesquisa para exercícios de improvisação/criação de cenas de Álbum de Família (2008) com direção de Mônica Ribeiro e Carlos Gradim."

 

Maria da Glória Ferreira Reis é Mestre em Ciências Sociais Cultura (PUCMinas), especialista em Arte-Educação (UEMG) e graduada em História (UFMG).

Sua carreira artística inclui formação, atuação, pesquisa, orientação, direção, roteirização e produção em teatro e dança. É autora de livros e artigos abordando temas relacionados, principalmente, à memória e história das artes, produção cultural e construção de identidades, formação e preparação para atuação profissional em teatro e dança.

Orienta pesquisas históricas e artísticas para montagens cênicas e apresenta seus trabalhos em cursos, seminários e festivais de artes cênicas nacionais e internacionais.

Foi diretora do Centro de Formação Artística* da Fundação Clóvis Salgado e da Escola de Teatro PUCMinas.

Professora do Centro de Formação Artística* desde a criação dos cursos profissionalizantes de dança, teatro e música até 2015, quando aposentou-se na Fundação Clóvis Salgado. Lecionou, também, no Teatro Universitário da UFMG, na Companhia de Teatro e no Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI BH).

Professora da Escola de Teatro PUC Minas, do Instituto de Educação Continuada IEC PUCMinas (pós-graduação História da Arte, e  Cultura: Produção e Crítica) e da Faculdade Angel Vianna (pós graduação Arte da Performance).

Colaboradora na criação do argumento e na seleçao iconográfica para o video documentário  O que é dança?.

Organizadora da cronologia para o documentário Figuras da Dança: Marilene Martins.  

Curadora da exposição 3° Sinal: Belo Horizonte em Cena, produzida pelo Museu Abílio Barreto.

Pesquisadora  e redatora, em parceria com a Diretoria de Patrimônio da Fundação Municipal de Cultura, do  inventário que reconheceu e registrou o Teatro de Palco, o Teatro de Rua, o Teatro de Bonecos e um Circuito de Espaços Culturais como patrimônio imaterial de Belo Horizonte.

 

Autora dos livros:

Cidade e palco: experimentação, transformação e permanências.

Pátio dos milagres: 35 anos do Palácio das Artes, um retrato.

Natália Lessa: desejo e prazer de dançar.

Carlos Leite: tradição e modernidade.

Primeiro Ato: 30 Anos.

3° Sinal: Belo Horizonte em Cena

A Arte e a Cidade: Lugares e Expressões Teatrais de Belo Horizonte

 

*A sigla utilizada quando da criação dos cursos profissionalizados era CFA, depois CEFAR e, posteriormente, CEFART.

Foto: Acervo Pessoal

Última atualização: 10/09/2021